Bem-Vindos....

Bem-vindos todos os desavisados e os mais avisados...Que estejam com as mentes e as pedras em prontidão para se lançarem ao pequeno Universo de Idéias que os convido a permanecerem só um pouco...

Sunday, January 27, 2008

Saturday, January 26, 2008

Jogando moedas para cima

Todo o dia temos algo para provar. Algo que não nos satisfaz; que nos deixa ansiosos. Buscamos as melhores oportunidades para nos soltarmos, sentirmos mais alegres. Encontramos amigos, beijamos bocas diferentes e até, muito mais, as conhecidas. Todo dia fazemos uma aposta. Numa fé de que tudo vai melhorar. Na megasena acumulada, numa mesa de sinuca, numa festa, numa entrevista de trabalho, num dia comum de trabalho cansativo. Num novo relacionamento ou num velho que tentamos renovar os votos já expirados. Apostar. Jogar os dados na mesa e ver no que vai dar; fazer aquela promessa pra si e ver até onde as crendices podem te levar. Onde a sorte pode ser tua parceira ou o azar ser teu confidente.
Todo o dia estamos dispostos a sermos os melhores fazendo as piores coisas. Traição, fofocas, mau caratismo, falsidade, egoísmo, mentira...Um cem números de atos que nos preenchem diariamente com nossas falhas. Humanos, diriam alguns.
E continuamos tentando errar menos, em fazer tudo da maneira mais obscena, porém ainda apostamos no que pode dar certo. Uma aposta sem fim prontos para quebrarmos a banca. Jogando moedas pra cima.

Thursday, January 03, 2008

Crônicas de Bate-Papo IV- O Abutre Ainda Voa

Ah, chefe é chefe.

Todos almejam um dia chegar ao cargo de chefia. Seja por mérito; seja por ocasião. Vem com direitos, deveres, obrigações, respeitabilidade, confiança e status quo. Mas todos temos ressalvas contra os nossos chefes. Eles deixam de ser nossos amigos para se tornarem os mais cruéis e críticos. São nossos amigos quando são meros colegas, mas quando assumem o cargo de chefia, babaus. Os homens, hoje em dia, têm além da disputa acirrada com o seu colega ao lado, a crescente escala de mulheres no comando. Para alguns o final dos tempos. Para outros, um chefe de saias. Um inimigo na trincheira de saltos.
Faço academia para ter desculpas para minhas beberragens, comilanças, desaforos e excessos. Vou quase todos os dias e posso afirmar que faz efeito! O que me possibilita arranjar mais desculpas(vales e descontos) para comer, beber e afins. E lá temos um desses exemplos. Chefe. A pequena da cor do pecado é a chefe de plantão, a coordenadora do restante dos instrutores. Com seus cabelos ondulados, às vezes soltos outras, preso. Cumprimentando todos, conversando e dando dicas. Colocando a casa em ordem. Por motivos de horário ela conseguiu dividir seu tempo hábil com outro chefe. Um homem. O nosso herói da causa maior, o eterno candidato às eleições para qualquer cargo. Riso no rosto. Mais um chefe. Uma dupla dinâmica coordenando os mais curiosos e promissores chefes.
Eu sobrevôo a academia, entro batendo as asas e me posto em cima das esteiras. Posto de observação de 180º. Entre olhar os chefes balanço a cabeça para as bundas e seios que transitam de um lado para outro como uma orquestra bem sincronizada. Vejo os instrutores da nova geração. Primeiro: Miojo. O rapaz de seus vinte e alguns anos, magérrimo com seus tênis e bermudas de skatista que se aproxima de qualquer mulher que tenha os requisitos certos para ser aplaudida em pé. Rápido, instantâneo em 3 minutos de conversa. De outro lado se aproxima para o cumprimento diário 71. O algoz de fala macia, olhar denso e discurso decorado tecnicamente executado para suas alunas, através de perguntas sobre alongamento, se ela já foi bailarina, que abertura de pernas. Inocentemente 71. Algo que qualquer mortal o fizesse soaria como o mais canalha das cantadas. E mais, temos nesse cenário, a mais nova versão de galã, o Aquaman. Com sua fisionomia de herói de quadrinhos com atitudes levemente estáticas (nos quadrinhos eles não se movem), poderia muito bem fazer parte de alguma novela, pois suas expressões são inexistentes, mas quando as alunas circulam seu Cosmos, haja sorriso. Fora que temos o prazer de uma celebridade. Frodo. Do Senhor dos Anéis. Lá com seu anel de compromisso na mão e com ar que acordou faz pouco tempo por que estava na piscina pegando um bronzeado. Além da chefa com a cor do pecado e o fogo nos olhos, que imagino ter o sabor de pimenta para quem experimenta. E da outra chefa que saiu de férias deixando órfãos os seus alunos. Temos em BG, a BA> Beatiful Girl rules ou Big Ass rules! Sem ofensas, apenas constatações para alegrar os dias quentes e os homens que a cercam com uma horda desgovernada. A dor de levantar além da conta, os pesos em halteres, barras, se perdem com a sua presença e o sorriso suado de seus orientados. Não é uma visão machista, mas uma visão de todos ao mesmo tempo no alvo. Qual é o alvo? VOCÊ É CEGO???? Existem, para a sorte da maioria masculina, outras professoras com suas estrelinhas no pescoço saltando para lá ou para cá, morenas com suas corridas e microfones incentivando, e o para o deleite do grupo feminino e de alguns que por ali transitam, o Samurai com sua aula de artes marciais de boxe Ninja.
As alunas se destacam. Existe uma gama de mulheres e tipos, homens e arquétipos. Destaque, meu, seria a que todos chamam de a Torta. Onde uma ambulância é exigida a cada aparição. Morena de cabelos encaracolados, mulata, brasileira, olhos claros, corpo de fazer inveja e povoar sonhos. Curvas que dariam inveja as da Estrada de Santos, como canta o rei Roberto Carlos. Causa maior dor nos pescoços masculinos do que a postura incorreta de realizar os exercícios. Sonho de consumo entre dez de oito homens (excluídos os casados,- temporariamente – e os que “transitam no grupo feminino”). Fora isso muita coisa pode acontecer nas aulas de Jump. Onde os saltos mexem com o ego e o físico. De quem pratica e observa, óbvio. Nunca gostei tanto de funk do Rio como agora.
Pois é, o abutre já deu seu ar. 2008 chegou. Todos saindo dando bons votos. Sonhos sendo feitos. E como o abutre nem foi percebido que passou por aqui deixou apenas penas caídas no chão que foram prontamente varridas. Nem assim. E o sonho de consumo ainda prevalece. Alguém sabe o telefone do Papai Noel????? Quem sabe no próximo Natal.