Bem-Vindos....

Bem-vindos todos os desavisados e os mais avisados...Que estejam com as mentes e as pedras em prontidão para se lançarem ao pequeno Universo de Idéias que os convido a permanecerem só um pouco...

Thursday, February 28, 2008

Segunda Versão de Vida

Muitos pensam e você nada diz
se alguém falar diga você se é feliz

o preconceito exposto como uma ferida
no corte do seu rosto, no decorrer da sua vida;

vida que se negocia
vida de lucros e saldos
vida à deriva
vida de quedas e saltos

ei, você que permanece calado no canto do mundo
aproveite o seu direito
grite, grite
não fique mudo!

Monday, February 18, 2008

Mea Culpa

Porque sou um idiota?
Porque deixei você ir embora?
Porque cometi erros demais?
Porque não os evitei?
Porque bebi tanto?
Porque não entendi o que você fez por mim?
Porque nada tem sentido?
Porque fiz as escolhas que não deveria ter feito?
Porque não sei o que fazer?
Porque me excedo?
Porque não mudo?
Porque deixei as coisas ficarem tão confusas?
Porque não te fiz feliz?
Porque não fui feliz?
Porque........................................................................
sou um idiota...............................................................

Wednesday, February 13, 2008

Taco de Beisebol

Às vezes o mundo te atinge com golpes de um taco de beisebol. Bem na altura dos joelhos para que caia e se curve aos seus caprichos. Cria-se toda uma armadura para se proteger desses golpes. Mesmo assim ele atinge seu corpo e faz cambalear, caindo direto no chão. Fica ali se debatendo, tentando se erguer, enquanto o mundo o golpeia mais e mais em todas as partes.
No trabalho, aquele que todo o santo dia você se dedica, que se sobressai e ninguém o vê, e, quando os erros inundam as saletas, o zunido do taco no ar o acerta bem no meio do rosto.
E a vida é essa vilã. A autora algoz. Que coloca na mão de quem te vê todo dia no espelho, aquela mesma pessoa que vê sua barba crescer, sua barriga aumentar ou diminuir, os músculos mais rijos, tesos, que conversa contigo, que te diz exatamente o que pretendes, pensar, agir. Mas essa pessoa tem nas suas mãos esse taco que te acerta. Derruba, bate nas suas costas, te coloca no chão e continua golpeando tua cabeça, teus ombros, destruindo tuas articulações. Essa pessoa que sempre confiaste; que sempre esteve ali te olhando. Essa pessoa que tu sempre acreditou. Que esteve ao teu lado, te dando esperança. Esse alguém no teu espelho, assim como no meu, está ali debochando da tua cara. Ele faz acreditar no que pode dar certo, sem que identifiques as falhas. Ele chega de repente e te golpeia no rosto. Com um taco de beisebol. Tu estás no chão se contorcendo.
Então queres se apoiar em algo. Joga-se no passado não importa se passaram dois, três, cinco, seis, sete, quinze anos. O passado serve como uma muleta. Coisas boas. Coisas ruins. Mas daí, hoje, o golpe do taco te pega desprevenido. Não esperava por isso. Eu não esperava por isso. Sabia, mas não esperava.
Daí o que posso sugerir ao enfermo agonizando no chão? Nada. Eu me abraço na amiga que espera de braços abertos. Que eu sei o que dela posso ter e ela idem, sabendo que não vou decepcioná-la. A chamo apenas de Tequila. Enquanto zuni pelo ar, o taco de beisebol sobre minha cabeça.