Bem-Vindos....

Bem-vindos todos os desavisados e os mais avisados...Que estejam com as mentes e as pedras em prontidão para se lançarem ao pequeno Universo de Idéias que os convido a permanecerem só um pouco...

Monday, December 16, 2013

Introdução em Queda Livre

Sempre esperamos algo mais, não é?!
Com o aproximar dos minutos do ano que finda, despedimo-nos do cansaço e das frustrações como por um passe de mágica. Apoiamos na esperança de que tudo será melhor e o que é ruim, complicado passará ou sumirá. Realmente nós ocultamos as partes não boas. As jogamos para debaixo do tapete esperando – palavra mágica – com ardor, que num golpe de sorte surja a solução dos céus. Sempre falamos sobre isso. Todo ano. E a “sujeira” aparece levada pelo movimento das coisas.
E quando ela vem à tona, vem com força. Soco na boca. Arrancando os dentes. Mesmo que você os ranja. Mesmo que solte o verbo e mande tudo ao inferno. Nesse caminho encontrará amigos, conhecidos e outros que ficaram por aí.
Uma passagem rápida de 365 dias. Um fast forward 4x. Acelerado. Passam com volúpia. Para tantos esse ano teve surpresas. Conheceram pessoas. Desvincularam a outras. Brigas de rua. Brigas de casais. Separações. Encontros. Desencontros de ideias, de palavras, de pessoas e de sentimentos. E passou rápido, não é?! Mas mesmo assim esperávamos mais!
O próximo ano tem a auréola santificada de boas novas e com isso uma pressão que causamos. Refletimos nossas vidas através do investimento de que tudo será bom. E como sempre, tudo tem dois lados. Quem paga também recebe.
Sentimos como se caíssemos em queda livre a 15 mil pés (faça o cálculo convertido, rápido!) para o que vier. Queremos sair de maneira furtiva e escapar pela culatra dos problemas. Vou confessar algo bem baixinho, quase sussurrando, não adianta! Os problemas estarão ali, nas prateleiras do seu quarto escuro, expostas nos rótulos, as datas de quando começaram e dentro de seus recipientes, como jarras com tampo onde prendemos insetos, como moscas que ficam se debatendo desesperadas.
Não está gostando do que está lendo, não é?! Pena. Absurdo. Não agradar a todos. Sim, isso é ironia com todas as boas intenções que o deboche pode causar. Aqui não é um texto que vai elevar seu espírito e nem destruir sua vida promovendo a dor. Ninguém quer que você vá agora diante da janela, abra-a e jogue-se do 10º andar. Se o fizer isso só provará o quanto imbecil e covarde você é! E caríssimo, eu admito, mesmo que passe na sua cabeça, você sabe eu sei, que é bem melhor que tudo isso! Que pode e deve enfrentar esse próximo ano com o sangue fervendo pronto para a briga. Você agüentará mais alguns “rounds”. Eu agüentarei, porque você não?!
    Muita coisa dependerá de mim nesse ano. E com certeza farei de tudo para colocar todos os pinos nas juntas.  A vida continua. As vidas continuarão. Principalmente as que dependem de mim.
Boas festas. Feliz Natal. Próspero ano novo. Ora, não achava que eu não iria parabenizar a todos. Com sorriso amarelo e com gosto de sangue no canto da boca.