Bem-Vindos....

Bem-vindos todos os desavisados e os mais avisados...Que estejam com as mentes e as pedras em prontidão para se lançarem ao pequeno Universo de Idéias que os convido a permanecerem só um pouco...

Tuesday, February 25, 2014

Conhecidas Tatuagens Perdidas

             
Ela tem tatuagens pelo corpo. Uma árvore de corações vermelhos balançando ao vento. Tem a estrofe de uma canção no braço que deveria dizer muito mais a alguém e não foi ouvida. Tem uma roda gigante na panturrilha em homenagem ao mundo idílico do filho. Ela tem a frase de um texto de um autor desconhecido que para ela representava muito mais do que se imaginava. Tem o pé do seu filho registrado no antebraço, recém nascido. Meia dúzia de gatos no outro braço que representam a passagem. Lembranças. Família até.
                Ele tem um super-herói saltando das suas costas para fora. Pensa que pode salvar o mundo. Que dele sai o algo mais. No braço o rosto sombrio de um personagem sarcástico sorri entre sombras e pouca luz. Identifica-se com o humor cáustico e corrosivo quase criminoso. O terror de toda a criança, um palhaço mau. Mas é apenas um palhaço.
             Ela tem flores correndo pela perna direita formando um lugar para deitar. Um jardim de deleite e de frescor para consigo e para quem convidar. E mesmo assim com espinhos ávidos para deixar sua marca repelindo quem não quer junto.
         Ele tem asas nas costas cobrindo toda a extensão. Numa mistura angelical e demoníaca. De sonhadora e protecionista. De distante e inatingível.
                Ela tem o símbolo OMM no ombro esquerdo buscando a paz e o equilíbrio.Ele tem um código de barras perto do pulso direito na parte interna, querendo provar uma singularidade e identidade.
           Ela possui uma boneca mexicana representando o dia dos mortos. Acredita na cultura latina. No misticismo. E numa boa rodada de tequila quinta à noite.Ele possui um escorpião pronto para atacar no peitoral demonstrando agressividade, medo e um ser viril. Talvez se escondendo. Talvez provocando.
                Ela tem uma pimenta vermelha perto da sua virilha e um coração sobre a região pubiana de pêlos raspados. Ele tem um dragão que contorna seu dorso até a pélvis com a língua e a cabeça explodindo em fogo e testosterona. E nem imagina que o ser que possui é um símbolo feminino.
               Ela tem estrelas cobrindo seu cóccix para abrilhantar seus quadris, seus glúteos arredondados, volumosos criando um Universo de fetiches e desejos. A marca do sol assina o pequenino caminho entre o impróprio e o cobiçado.
                Ele tem uma parábola de Buda atrás do pescoço e Deus no peito. Na canela, Iemanjá. Ela tem o terço contornando o braço. Iniciando na mão, pelo dedo anular até o antebraço. Terminando na parte interna.                
                Ele tem o distintivo do seu time de futebol de coração estampado no cotovelo que já se chocou com o rosto de tantas pessoas quantos os títulos que ele vibrou ao vencer e chorou quando os perdeu. Ela tem pequenas pegadas de um felino no seio esquerdo até a auréola dos mamilos. O verão coroa a pele bronzeada e realça os triângulos que tapam o segredo dos seus seios siliconados.
                
                E os dois não se conhecem. E não são apenas dois. São todos que estão por aí. São tantos que se perdem na multidão. Conhecidos. Como amores passados e recém encontrados, tendo apenas em comum a incomum forma de tatuar. Tatuagens desses amores perdidos.